Valorização de Serviços Ambientais de Agro-Ecossistemas em Áreas Protegidas

Morfologia

Situada no centro de Portugal e estendendo-se ao longo de 115 Km (NE-SW), entre as cidades da Guarda e da Lousã, a Serra da Estrela (40º20’N, 7º35’W) constitui a cordilheira mais alta do território continental, no prolongamento ocidental do Sistema Central – um dos principais sistemas montanhosos ibéricos.

Na morfologia da Serra da Estrela evidencia-se um planalto granítico com uma inclinação S-N, atingindo no seu ponto mais alto, no lugar da Torre, os 1993 metros de altitude. Nas vertentes do lado Este da Serra da Estrela afloram rochas graníticas, elevando-se no sentido NE-SW, até à altitude de 800 metros. Se o quadrante nordeste manteve a sua morfologia uniforme, já a parte sudeste foi rasgada por um sistema de vales convergentes para a bacia do rio Zêzere (Daveau 1969; Vieira 2004).

O subsolo da Serra da Estrela é composto, principalmente, por massas graníticas entremeadas por veios de outros tipos de rochas ígneas. Veios de quartzo também marcam presença, formando áreas de maior resistência à erosão (Vieira 2004). Em diversas zonas ocorre o xisto e, devido às suas propriedades erosivas, tendem a contribuir para formação de vales aluviais irregulares e com uma acentuado abaixamento da altitude.

Pamorama1_100

Advertisements